quinta-feira, 13 de maio de 2010

O vazio e o preenchido...



"To vazio"...
Estar vazio é uma afirmação comum nos dias de hoje. Estar vazio é muito mais que estar num auto vácuo interior. Estar vazio é uma sensação de ausência...uma ausência "não sei do que" mas que está "faltando alguma coisa". O vazio é o resultado de quando o Espírito Interior está "fora do lugar". Quando o Espírito Interior fica fora, o lugar que ele deveria ocupar fica "VAZIO". Logo, podemos concluir que o vazio interior, é a "AUSÊNCIA DE SÍ MESMO". É também a "CONSCIÊNCIA DA AUSÊNCIA DE ONDE DEVERIA ESTAR O ESPÍRITO". E o que fazer?
Vamos imaginar uma folha de papel em branco. A folha em branco só é assim pela ausência de cores e formas. A folha em branco está VAZIA, sem desenho nem pintura alguma. O artista, pega a folha vazia e começa a preenchê-la com sua Ação Criativa. Preenche de cores e formas, até concluir seu trabalho. E assim o papel perde seu vazio original e ganha status de Obra com o preenchimento de cores e formas.
E na nossa vida?
Nós temos um ARTISTA INTERIOR para nos preencher por dentro e por fora. Nós somos os únicos responsáveis por esse preenchimento. Nossa Jornada de Herói de nossa individuação, inclui tarefas de preenchimento dos nossos próprios vazios interiores. O Artista Interior preenche o próprio vazio de dentro com as mais variadas colorações de atitudes e as mais variadas formas de talentos. Usar atitudes que elevam o Espírito faz com que o próprio Espírito preencha-se no vazio. O uso dos talentos lapidam e moldam formas no Espírito para que este encaixe-se com precisão em cada vão do vazio interior.
E é aí que entra a mandala. A mandala é a foto do Espírito. Tirar uma foto do Espírito com as mãos, desenhando-o em forma de mandala, exercita o próprio Espírito a se auto preencher nos vazios interiores. É pela Ação Criativa contínua de preencher vazios no papel, que o Espírito se manifesta em mandalas e que mandalas se manifestam em Espírito. A mandala sempre será um vazio preenchido, tanto no papel como no Interior de quem desenha ou a contempla. Nossa sensação de desenhar e ver as mandalas nos conecta com a Consciência Cósmica e nos livra da horrível sensação que o vazio provoca. E por que isso acontece? Porque o Espírito é uma mandala viva. Ao desenhar uma mandala temos uma Ação Evolucionista para que o vazio interior seja tão preenchido quanto o branco do papel. E é nessa atitude de Perseverança que conseguimos nos preencher: da mandala viva do Espirito Interior por dentro e da mandala Obra de Arte por fora.

Um comentário:

Georgina disse...

E o que está fora, está dentro.

Adorei!